Plantão Policial MG

Seu site de Segurança Pública do Estado de Minas Gerais.

Rede Gerais





quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

0 Ato público em Brasília contra morte de agentes marca luta de policiais

Manifestantes entregaram documento propondo punição mais rígida para criminosos.

Agentes de segurança pública de 13 estados brasileiros fizeram um protesto contra a morte de policiais, nesta quarta-feira (25), em frente ao Congresso Nacional, em Brasília. Os manifestantes colocaram 518 cruzes simbolizando o número de vítimas das forças de segurança em 2014.

O movimento reúne policiais civis, militares e federais, bombeiros e agentes de atividade penitenciária do Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Piauí, Maranhão, Rio de Janeiro, Santa Catarina e mais cinco estados.  A expectativa dos organizadores era de que mil agentes estivessem no protesto.


Segundo o diretor jurídico da Associação Nacional dos Praças, Policiais e Bombeiros e Militares (Aspra), Marco Antonio Bahia Silva, o grupo vai propor aos deputados que façam alterações na lei, para “endurecer a pena contra quem pratica crimes”.
 
“Estamos fazendo um movimento em Brasília para mostrar a nossa indignação. Queremos mostrar para o Congresso que a gente não suporta mais impunidade. Levantar a voz e discutir com o Congresso. [Foram] 54 mil pessoas mortas em decorrência da violência em 2014, 518 policiais’, afirma.

Segundo ele, os manifestantes entregaram um documento ao presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, para que os parlamentares avaliem. “Hoje, quem mata, um cidadão comum que comete o crime, ele pega pena mínima de 12 anos e na prática fica dois anos preso. Propomos apenar com mais gravidade, dar maiores penas, e também que a execução da pena seja maior. Não é razoável cumprir um sexto da pena e ficar livre.”


 Durante o ato, estava previsto que os policiais fizessem um abraço em torno das cruzes. “É como se a gente estivesse realmente abraçando essas vítimas, prestando uma homenagem a eles.”

“Queremos que o Congresso Nacional aprove uma lei tornando crime hediondo o assassinato de policiais. Isto é uma forma de evitar que bandidos matem policiais indiscriminadamente policiais”, explicou Jânio Bosco Gandra, presidente da Confederação Brasilieira de Trabalhadores Policiais Civis.


 Presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, formalizada hoje (25), o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) informou que o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), prometeu discutir as reividicações dos manifestantes. 

“Vamos juntar os projetos, criar uma semana de segurança pública e votar definitivamente”, acrescentou.

Com informações portal G1 e Exame



Sobre o autor:

Site Dedicado aos profissionais de Segurança Pública
Previous Page Next Page Home

Regras Comentário: Não serão aceitos comentários que contenham palavrões, ofensas pessoais ou expressões que tenham por intuito ridicularizar outros leitores

0 comentários: