Plantão Policial MG

Seu site de Segurança Pública do Estado de Minas Gerais.

Rede Gerais





sábado, 14 de junho de 2014

0 PM muda estratégia e põe mais 5.000 homens nas ruas neste sábado

Depois da violência de um grupo de vândalos em Belo Horizonte nos protestos da última quinta-feira, a Polícia Militar (PM) decidiu nessa sexta que vai agir com mais rigor e usar a força física na manifestação prevista para a manhã deste sábado.
Para a PM, em caso de vandalismo, o número de prisões será maior – nessa quarta foram 19. A corporação também anunciou que vai aumentar o efetivo em 5.000 policiais, totalizando 16 mil homens e mulheres só para cobrir a Copa.
O tenente-coronel Alberto Luiz Alves não admite que a PM falhou no combate às depredações, mas reconhece que será preciso uma nova estratégia para evitar que elas se repitam nas praças da Liberdade e Sete. Segundo ele, não faltaram homens na ação de nessa quarta, mas o número neste sábado será maior em função do jogo e da cobertura do perímetro Fifa.
Para Alberto Luiz, no momento em que um grupo pequeno depredou bancos, viaturas e o Cine Belas Artes, nessa quarta, a polícia não poderia ter agido de outra forma. “Temos um protocolo. Não podíamos sair em bando atrás deles na avenida João Pinheiro. A cena seria patética”.
Uma das mudanças previstas para este sábado será a resposta diante das provocações. “Vamos prender por desacato. Você tem o direito de andar e gritar, mas cuidado, porque posso entender como desacato e tirar você do convívio social”, alertou.
Outra estratégia será acompanhar mais de perto os manifestantes. Os mascarados e os mais “nervosos” vistos na quinta-feira entre os manifestantes terão policiais na cola, prometeu o coronel. “Se você estiver com qualquer coisa suspeita nas mãos, com máscara ou exaltado, um policial será sua sombra. Se olhar para o norte, sul, leste ou oeste, ele estará ao seu lado”, afirmou. E acrescentou: “Se alguém depredar ou destruir alguma coisa, será preso imediatamente e não repetirá o ato”.
O plano para este sábado prevê ainda um controle maior sobre a movimentação dos manifestantes, que deve ocorrer “dentro do planejamento” da corporação, segundo o tenente-coronel. Se grupos pequenos ‘se desgarrarem’ do protesto e agirem de forma violenta, eles serão seguidos. “Vamos atrás e vamos prendê-los. Se a nossa estratégia não for eficaz neste sábado, não teremos mais justificativa”, disse.
Em entrevista a uma TV nessa sexta, o secretário de Estado de Defesa Social, Romulo Ferraz, afirmou que foram feitos ajustes para que a PM chegue mais rápido no momento em que os vândalos atacarem. O secretário disse ainda que a recomendação é que a PM seja rigorosa e severa na proteção do patrimônio, e que destruições não sejam toleradas.
Movimentos dizem não participar de violência

O vandalismo dessa quarta divide a opinião dos grupos sociais que participaram do protesto. A maior parte diz que não é a favor das depredações, mas não condena quem participa delas.

Em um ponto, eles concordam: essas ações tiram o foco das suas reivindicações, como tarifa mais barata de ônibus e mais moradia.

“Não atacamos nada. Não apoio, mas não condeno. Não podemos criminalizar essas pessoas”, afirma a integrante do Tarifa Zero Juliana Galvão. “O nosso movimento foi positivo e sem violência. Sou contra o vandalismo, que tira o nosso foco”, avalia Roberto Verônica, da ocupação William Rosa.

“Não somos violentos, mas entendo quem é. Essas pessoas são violentadas diariamente na periferia”, diz Lorena Dias, 25, do Comitê dos Atingidos pela Copa (Copaq).

Ferido
Fotógrafo. O repórter fotográfico da Reuters Sérgio Moraes recebeu alta nessa sexta do Hospital Pronto-Socorro João XXIII. Nessa quarta, ele levou uma pedrada e teve traumatismo craniano leve.

Identificação de suspeitos
A PM informou nessa sexta que novas prisões deverão ser feitas nos próximos dias. Segundo o tenente-coronel Alberto Luiz Alves, diversos policiais à paisana fotografaram e filmaram a ação dos vândalos na quinta-feira, inclusive dentro do Detran, onde uma viatura foi destruída. “A Polícia Civil está trabalhando nas identificações. Se elas estarão nas ruas nos próximos jogos depende da nossa legislação, que não deixa essas pessoas presas por muito tempo”, disse.

Policiamento reforçado no Move
O policiamento nas estações do Move, em Belo Horizonte, terá o efetivo dobrado neste sábado. Serão 500 homens. “A ordem é clara que não é pra deixar (depredar)”, disse o comandante da Companhia de Mobilidade da Polícia Militar, capitão Mauro Júnior. O presidente da empresa, Ramon Victor César, admitiu ter medo das depredações. “Temor a gente sempre tem. Nas circunstâncias deste sábado, a gente tem temor do vidro da casa da gente, do vizinho ou do amigo”, afirmou.

Protesto tem 4.600 adesões
Previsto para ocorrer neste sábado a partir das 10h na praça Sete, no centro de Belo Horizonte, o protesto “Não vai ter Copa” tem 4.600 pessoas confirmadas pelo Facebook. Na página do movimento, o grupo chama as pessoas para o protesto com a pergunta “Vocês querem ver a mudança? Querem mudar? Então venham, saiam de seu conforto, sacrifique seu presente em troca do futuro”. Outros, mal-intencionados, usam a internet para incitar atos de violência.
plantão policial mg- portal o tempo



Sobre o autor:

Site Dedicado aos profissionais de Segurança Pública
Previous Page Next Page Home

Regras Comentário: Não serão aceitos comentários que contenham palavrões, ofensas pessoais ou expressões que tenham por intuito ridicularizar outros leitores

0 comentários: